DENGUE O PERIGO ESTÁ DE VOLTA

Chegou a hora de você fazer sua parte, vamos combater junto esse mosquito.

O CICLO E TRANSMISSÃO

O ciclo do Aedes aegypti é composto por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto.
A transmissão ocorre pelo ciclo homem-Aedes aegypti-homem, na fase do acasalamento, em que as fêmeas precisam de sangue para garantir o desenvolvimento dos ovos:
1)O mosquito, inseto fêmea , pica uma pessoa infectada, mantém o vírus na saliva . Após a ingestão de sangue infectado, ocorre na fêmea um período de incubação que varia de oito a 12 dias. 
2)O mosquito a partir daí, se transforma em transmissor da doença, podendo contaminar até 300 pessoas, em seus até 45 dias de vida. 
3) Se uma pessoa picada já tiver contraído dengue antes, a doença pode evoluir para a forma hemorrágica.


O MOSQUITO
O mosquito Aedes aegypti, menor que um pernilongo comum, tem cor escura e corpo e patas listrados de branco. Ele não nasce com o vírus da dengue, mas se torna portador depois de picar uma pessoa contaminada.
Apenas a fêmea pica o ser humano (somente de dia) e deposita seus ovos geralmente em água limpa ou suja, parada e na sombra.


O QUE É A DENGUE E SEUS TIPOS
A dengue é a doença infecciosa causada por vírus, aguda e de gravidade variável. Apresenta-se sob as formas de dengue clássica (tipos 1 e 2) e dengue hemorrágica (tipo 3), sendo essa última a forma mais grave da doença no Brasil. A dengue hemorrágica (tipo 3) ocorre quando um indivíduo contrai novamente a dengue causada por um vírus de sorotipo incompatível com aquele que o infectou na primeira vez.
No Brasil, o Aedes aegypti ainda transmite a febre amarela, o que a Funasa já constatou em Goiás e Minas Gerais, estados sob intensas chuvas.

PREVENÇÃO E COMBATE
Nesta época, não use vasos ou jarros de flores ou plantas com água acumulada.
Manter os vasos de plantas secos. Tampar caixas d'água.
Manter o quintal livre de pneus, copos, latas e quaisquer recipientes que possam acumular água e facilitar a reprodução do mosquito.
Evite jogar lixo próximo a bueiros. Se eles entupirem, poderão formar poças de água que facilitarão a proliferação do mosquito.
Se for necessário manter recipientes com água para o abastecimento da casa, deixe-os muitos bem tampados, para evitar a entrada do mosquito.
O método mais usado no combate ao Aedes aegypti, atualmente, é o da aspersão dos inseticidas organofosforados, altamente tóxicos para homens, animais e plantas.
Esses inseticidas são os do fumacê e do líquido usados pelos técnicos em saúde pública.
A bióloga Alessandra discorda da utilização desses inseticidas: "A borra de café, além de ter custo zero, é de fácil aplicação, principalmente entre a população de baixa renda, não é tóxica, não prejudica as plantas e pode servir até como adubo."
O estudo já foi apresentado à Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) do Estado de São Paulo e à Vigilância Sanitária federal.
A Prefeitura de São José do Rio Preto foi a pioneira na campanha de difusão da informação sobre a borra de café como veneno contra o anti-Aedes. Naquele município, estão sendo distribuídos folhetos explicativos sobre o uso da borra.
Outra forma simples e caseira de combate é diluir uma colher de chá de água sanitária em um litro de água e borrifar nas plantas e nos vasos. O procedimento não causa danos às plantas.

OS SINTOMAS
Depois de três dias após a picada, a pessoa começa a ter febre, dor de cabeça (na região ocular principalmente), dor nos ossos, prostração, vômito, diarréia, falta de apetite e erupções na pele.
A dengue hemorrágica surge de três a cinco dias depois do aparecimento dos primeiros sintomas. O doente tem uma súbita melhora e a febre desaparece.
Em questão de horas, a febre volta, seguida por suores, pele pálida, frieza nas extremidades (mãos, pés, nariz ), dor de garganta, pulso fraco e queda de pressão, além de dores no estômago e abaixo das costelas.

O QUE FAZER
Quem apresentar um desses sintomas, que é parecido com a gripe ou resfriado, deve imediatamente, procurar orientação médica, fazer repouso, beber muito líquido, em doses pequenas, mas repetidas, em espaços curtos de tempo.
E atenção! A pessoa não deve se automedicar. Não tomar remédio do tipo aspirina, à base de ácido acetilsalicílico e dipirona (novalgina), antitérmicos e analgésicos, para baixar a febre ou aliviar as dores. Tais medicamentos aumentam o risco de sangramento e prejudicam o tratamento e a cura, podendo levar os pacientes para a dengue do tipo hemorrágico.

RECEITAS CASEIRAS
1) diluir uma colher de chá de água sanitária em um litro de água e borrifar nas plantas e nos vasos. O procedimento não causa danos às plantas.
2) sal, vinagre, pimenta e orégano também matam o mosquito é o que afirma o biólogo Carlos Fernando Andrade, professor doutor de zoologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que estuda a dengue há 15 anos, Estas substâncias têm o mesmo resultado da cafeína, dependendo da quantidade.

Um comentário:

  1. Enquanto persistir a crença na existência de 04 vírus diferentes a Pesquisa continuara ändando em circulos"sem conseguir chegar a lugar algum!
    O vírus é único e DEN 1, DEN 2, DEN 3, DEN 4 representam o número de vezes que o indivíduo sofreu a infecção! É tão simples como dois mais dois+ quatro... E por que existem poucas pessoas com sorologia positiva para DEN 4? Pelo simples motivo: Muitos não resistem passar a DENGUE 1, 2, 3... vezes!
    A hora que a pesquisa enveredar pelo caminho certo as coisas fluirão com mais facilidade, inclusive a descoberta de uma vacina!

    ResponderExcluir

AddToAny

Seguidores