Casa Ti Herculano será entregue à comunidade de Laranjeiras

A superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Sergipe entrega, nesta sexta-feira, 8, a Casa de Ti Herculano, na cidade de Laranjeiras. A cerimônia será às 19h, quando também será aberta a exposição Lugar Nagô em Laranjeiras. 

A obra atende uma demanda da Irmandade de Santa Bárbara Virgem, e segue estratégia do Iphan, com um olhar mais atencioso para o patrimônio cultural de matriz africana. Desde 1986, após os tombamentos da Serra da Barriga e do Terreiro da Casa Branca na Bahia, vêm crescendo as ações de preservação de celebrações e lugares onde se ritualizam importantes manifestações do patrimônio cultural brasileiro e que não tinham sido alvo de políticas de preservação.

Com as obras, o Iphan recuperou a casa de Ti Herculano que apresentava degradação dos revestimentos, alvenaria e coberturas, além de desestabilização de diversas paredes. O trabalho, acompanhado pela Irmandade, respeitou a dinâmica de usos do espaço e a religiosidade, mas sem descartar elementos importantes que tornam a casa, além de um lugar sagrado, um objeto de valor histórico e estético. Outros serviços foram executados pela Irmandade de Santa Bárbara Virgem que conseguiu o recurso ao ser contemplada com o Prêmio Culturas Populares, do Ministério da Cultura em 2009.
A solenidade de entrega da obra contará, ainda, com uma exposição virtual, explicando a importância da Casa de Ti Herculano como parte da herança cultural e religiosa de Laranjeiras. A exposição foi idealizada pela professoras Verônica Meneses Nunes, museóloga, e Beatriz Góis Dantas, estudiosa da tradição nagô em Laranjeiras. A iniciativa conta com o apoio da Universidade Federal de Sergipe (UFS), através do Museu do Homem Sergipano e do Centro de Educação Superior à Distância, e da Prefeitura Municipal de Laranjeiras, através da Oficina Escola de Laranjeiras.


A casa Ti Herculano


No século XIX se deu a idade de ouro da cidade de Laranjeiras. Pelo vale do rio Cotinguiba espalhavam-se engenhos de açúcar e uma expressiva população negra e escrava. Muitos dos negros, porém, residiam na cidade, trabalhando nos trapiches, no comércio ou em ofícios urbanos, e vários deles conseguiram sua alforria ainda antes da abolição.
A Casa de Ti Herculano remonta à segunda metade do século XIX, e foi o segundo espaço em que se organizaram os cultos coletivos de matriz africana em Laranjeiras, seguindo a Casa de Ti Henrique, hoje desaparecida. Seu proprietário, Herculano Barbosa, era um africano liberto, que dirigiu o culto nagô de Laranjeiras até sua morte, em 1907. A casa aparece no seu inventário como um sítio, vizinho ao antigo Engenho da Comandaroba, com um quintal que se estendia até o Rio Cotinguiba – do qual ainda resta um trecho.
A Casa foi herdada pela viúva Bernarda Barbosa e os santos de Ti Herculano passaram aos cuidados dos seus descendentes. O cargo de chefia do grupo foi transmitido a Umbelina Araújo, que, no início do século XX, passou a realizar parte dos 'festejos' em sua casa – o Terreiro de Santa Bárbara Virgem – na Rua da Cacimba. Contudo, a Casa de Ti Herculano permanece como casa matriz e espaço referencial da tradição nagô de Laranjeiras.


Fonte: Ascom

Um comentário:

  1. PARTICIPO DA RELIGIÃO,,AMO MUITO O NAGO,,,,,MUITA HISTÓRIA E CULTURA E PRESERVAÇAO

    ResponderExcluir

AddToAny

Seguidores