Carta de Agnaldo Timóteo liga PR a cobrança de propina em SP


Agnaldo Timóteo |
Foto: Divulgação
Com informações O Dia Online
Matéria publicada em
21 de julho * 08h15
O vereador Agnaldo Timóteo (PR) mandou uma carta, em papel timbrado da Câmara Municipal de São Paulo, a um antigo aliado em que menciona cobrança de propina por "oportunistas" de seu partido e cita o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP). Na carta, Timóteo se explica por ter demitido de seu gabinete a filha de Geraldo de Souza Amorim, a quem diz ter "levado" a reuniões com o prefeito Gilberto Kassab e o ex-ministro Alfredo Nascimento (Transportes), do PR. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
"Você se lembra, Geraldo, que os oportunistas do meu partido te exigiram R$ 300.000,00 mensais? E eu pergunto: te pedi alguma coisa para levá-lo ao nosso ministro? Pedi alguma coisa para levá-lo à mesa do prefeito Kassab?", diz a carta, que foi registrada e teve firma reconhecida pelo 3º Tabelião de Notas de São Paulo. Amorim era sócio da GSA, empresa que em 2004 obteve da RFFSA (Rede Ferroviária Federal) autorização para instalar, em terreno da antiga estatal, a Feira da Madrugada, que reúne ambulantes no bairro do Pari (centro de SP). A carta de Timóteo é a base de representação protocolada ontem no Ministério Público Federal em São Paulo pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP). Ele pede a investigação de supostas práticas de improbidade administrativa, cobrança de propina e enriquecimento ilícito por parte de políticos do PR e de grupos rivais de comerciantes da feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Seguidores