Caminhada na Orla da Atalaia une sociedade civil e governo em favor do desarmamento

A caminhada, que terá animação de trio elétrico com a banda Me Chame Aê, tem como objetivos chamar a atenção da população para a Campanha do Desarmamento 2011, que está em pleno andamento desde o dia 6 de maio.

Entidades da sociedade civil e governo de Sergipe estarão unindo forças no próximo sábado (20), na Caminhada pelo Desarmamento e a Favor da Vida, que acontece na Orla da Atalaia, a partir das 14 horas, com concentração próxima ao Hotel Celi. (Leia mais)

A caminhada, que terá animação de trio elétrico com a banda Me Chame Aê, tem como objetivos chamar a atenção da população para a Campanha do Desarmamento 2011, que está em pleno andamento desde o dia 6 de maio, quando o Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo fez o lançamento no Rio De Janeiro, e colocar na pauta de discussão a necessidade de se desarmar as pessoas, estimulando a cultura da paz, recolhendo o maior número possível de armas e assim, aumentar a segurança de todos os brasileiros.

 As estatísticas apontam que de cada 10 homicídios no Brasil, 7 são praticados com arma de fogo. O país tem 17,5 milhões de armas, estando 90% delas nas mãos de civis.  Em Sergipe, a Campanha do Desarmamento está em pleno funcionamento, com postos de recolhimento nas superintendências regionais da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal, que recolheram, até o momento, 165 armas, entre revólveres, pistolas e espingardas. Os dados são do SINARM/PF. E em breve, os Postos de Entrega Voluntária (PEV) de serão ampliados para atender os 75 municípios sergipanos.

"O nosso objetivo é recolher o máximo de armas possível, para que tenhamos uma sociedade mais segura, pois os dados estatísticos desmentem aqueles que defendem uma sociedade armada. É fato que 65,7 por cento dos homicídios com armas de fogo são cometidos não por bandidos, mas por pessoas comuns, sem antecedentes criminais, em crimes passionais, como brigas de trânsito e desentendimentos familiares", explica Fábio Costa, coordenador-adjunto da Comissão Sergipana pelo Desarmamento.

Ainda de acordo com Fábio Costa, estudos apontam que a cada 18 armas retiradas de circulação, uma vida é poupada. "Isso, por si só, já nos estimula a estar envolvido numa campanha de desarmamento da população. Vivemos uma verdadeira guerra civil no país, que passa despercebida na banalidade em que está se transformando a perda de vidas por tiros de revólveres ou pistolas. A cada quinze minutos um brasileiro é vítima de arma de fogo. É insustentável. Precisamos parar essa matança e diminuir ao máximo essa triste estatística", completa o coordenador.

Segundo estudos do Mapa da Violência no Brasil,  a realização de campanhas para o recolhimento ou legalização de armas tem impacto direto na redução dos índices de criminalidade, notadamente os índices de homicídios. O Ministério da Justiça realizou campanhas para entrega voluntária e para a legalização de armas em 2004/2005 e 2008/2009. Na primeira campanha, Sergipe ficou em primeiro lugar, proporcionalmente, em recolhimento de armas.
Chacina

Na última terça-feira 16, uma chacina chocou o município de Itabaiana, a 48 quilômetros de Aracaju. Na Rua "B", no conjunto Teles de Mendonça, localizado na periferia da cidade, quatro jovens foram friamente executados a tiros dentro de uma casa por dois homens, que teriam chegado em uma motocicleta. Mais de 20 tiros foram disparados.

Vizinhos afirmam que escutaram os estampidos vindos de dentro da residência e em seguida ouviram o som da moto dos criminosos que saíram do local do crime em disparada. A polícia, que chegou rapidamente ao local, encontrou, em um dos quartos da casa, os corpos de Mateus dos Santos Siqueira, de 20 anos; Ana Paula dos Santos Moura, de 14 anos; e Yuri Santos, de 18 anos.

Todos morreram na hora.
Jéssica Prates dos Santos, de 16 anos, chegou a ser encontrada ainda com vida, mas poucos minutos depois da chegada da polícia, a adolescente não resistiu aos ferimentos e morreu.

"Quatro jovens que perderam a vida vitimados por armas de fogo. Isso só reforça a necessidade de fortalecermos ainda mais a Campanha pelo Desarmamento em Sergipe para evitar que mais vidas sejam perdidas nessa guerra", ressalta o coordenador adjunto da campanha sergipana, Fábio Costa.

A Campanha do Desarmamento 2011 é permanente, mas somente as armas entregues até o dia 31 de dezembro serão indenizadas, em valores entre R$ 100 e R$ 300. Mais informações no site
www.entreguesuaarma.gov.br.

Fonte: Portal JC.Net

Um comentário:

  1. Evandro de Jesus Bispo OFS19 de agosto de 2011 12:24

    A questão é muito grave para ser tratada de maneira tão simplista assim. O múmero de armas de fogo em poder da população civil não está relacionado com os altos indices de violência. Se assim o fosse, os EUA seriam o País mais violento do mundo, lá existem mais armas registradas que habitantes, e no entanto a situação é bem diferente do Brasil. O que há de fato é um interesse político-ideológico por tras de tudo isso, e isto passa despercebido pela maioria dos cidadãos. Até mesmo pessoas esclarecidas terminam por defender o tal desarmamento julgando ser esta a unica forma de se promover a paz. É bom que se note que já tivemos péssimos exemplos das consequencias que o desarmamento troxe para algumas nações. Todos, sem excessão, todos os grande ditadores do século XX eram favoráveis ao desermamento da população civil. É bom lembrar que em várias nações onde foram realizados o desarmamento da população civil, este desarmamento precedeu a implantação de regimes totalitários. Isso é fato. É história. Até Hitler promoveu o desarmamento dos civís. Uma pesquisa criteriosa no google pode ser bastante reveladora sobre a associação entre desarmamento e totalitarismo. Proponho uma reflexão: imagine vc em sua residencia, com sua família. Um bandido está forçando a sua porta para tentar arrmbá-la, um outro está a destelhar sua casa tentando entrar pelo teto, o que fazer? nesta situação, acredite meu amigo, com a Segurança Publica que nossos governantes nos proporcionam, é melhor para vc e sua família que vocês tenham uma arma dentro de casa, do que a polícia ao telefone. Se é para desarmar, porque o cidadão comum deve abrir mão se dua defesa e confiar na segurança pública se os políticos não abrem mão dos seus seguranças particulares?, muito bem armados por sinal, porque não abrem mão das cercas elétricas em suas residencias? dos carros blindados? dos esquemas de segurança montados para os seus deslocamentos? Se os nossos governantes acreditam que o desarmamento promove a cultura de paz, deem o exemplo e se desarmem primeiro, abram mão da segurança armada que possuem. Tenho certeza absoluta de que qualquer autoridade política que compareça neste evento, estará acompanhada, ainda que disfarçadamente, por seguranças. Quem deve se desarmar são os bandidos, e estes não entregarão as suas armas. O desarmamento só promove a ação criminosa dos que estão armados, e acaba com a total possibilidade de defesa do cidadão de bem. Somente uma classe de pessoas tem a sua segurança melhorada com o desarmamento: os bandidos!."A paz repousa sobre as armas."
    Para uma melhor reflexão sobre o tema eu indico:
    http://www.youtube.com/watch?v=RnTJiLgDlNM veja tambem: http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/04/desarmamento-e-golpe.html
    e mais:
    http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/04/volta-da-campanha-do-desarmamento-ii.html

    e mais:

    http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/04/contra-o-desarmamento-civil.html

    e ainda:
    http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/04/demetrio-magnoli-mudar-estatuto-do.html

    e por último:
    http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2011/04/bene-barbosa-desarmar-o-cidadao-so-traz.html

    PAZ E BEM A TODOS.

    ResponderExcluir

AddToAny

Seguidores