ESPORTE | Mesmo em vantagem contra o Fla, Montillo não tem receita para vencer

Flamengo e Cruzeiro | Foto: Maurício
Val/Vipcom
Por: Fernando Martins Y Miguel
Belo Horizonte

Se o Flamengo tem Ronaldinho Gaúcho, artilheiro do Campeonato Brasileiro, com nove gols, o Cruzeiro tem Montillo, terceiro na tábua de goleadores, com seis. E se valer o retrospecto recente, o vice-líder da competição já pode colocar as barbas de molho.
Nos últimos sete confrontos entre as equipes, a Raposa saiu de campo com os três pontos. Mas o que mais chama a atenção é o duelo entre o time carioca e o argentino da camisa 10, que leva ampla vantagem sobre os rubro-negros. Montillo venceu quatro vezes, empatou uma e perdeu outra. Porém, para ele, é mera coincidência se dar bem diante do Flamengo. 

- Acho que foi coincidência. Quando estava na Universidad, enfrentar o Flamengo sempre foi bom e, graças a Deus, os dois jogos desde que cheguei, ganhei. Não tem essa de se motivar mais contra determinada equipe. Às vezes, você dá mais sorte contra um time do que com outro.
A história do confronto teve início no primeiro semestre do ano passado, quando Montillo nem sonhava em ser jogador do Cruzeiro. Como meia do Universidad de Chile, Montillo enfrentou o Flamengo pela Taça Libertadores de 2010 em quatro ocasiões, já que as duas equipes compunham o mesmo grupo na primeira fase e se enfrentaram nas quartas de final.
Na fase de grupos, o time chileno venceu os cariocas por 2 a 1, no Chile, e empatou em 2 a 2, no Maracanã. Nessa partida, Montillo marcou um gol. Pelas quartas de final, o Universidad de Chile venceu o Flamengo no Maracanã, por 3 a 2, e perdeu por 2 a 1, em casa.
Apesar da derrota, o time de Montillo se classificou, e o argentino marcou um golaço, de cobertura, sobre o goleiro Bruno. O gol fez com que o camisa 10 ganhasse notoriedade no Brasil, sendo cobiçado pelo próprio Flamengo e também pelo Cruzeiro.
- Acho que minhas atuações contra o Flamengo foram fundamentais para vir para o Brasil. Ninguém me conhecia jogando lá. E um jogo marca muito. Aquela Libertadores foi muito boa para mim. Às vezes, tem jogo que marca mais. E naqueles jogos enfrentamos nada menos do que Adriano, Vagner Love e Léo Moura.
Montillo chegou a negociar com o clube rubro-negro, mas a diretoria celeste trabalhou rapidamente e conseguiu levá-lo para Minas Gerais, após fracassar a negociação com o meia Riquelme.
Disputa local
Pelo Campeonato Brasileiro do ano passado, nos dois jogos disputados, Montillo saiu de campo com a vitória. Venceu por 1 a 0, em Uberlândia, e por 2 a 1, em Volta Redonda. Mas o argentino não tem a receita para a equipe bater o último invicto do Brasileiro.
- Não sei a receita. O Flamengo é um time muito difícil. Conseguiu pontos importantes contra o Santos, em um jogo muito bom. Vem de vitória em outro jogo importante, contra o Grêmio. Mas tenho certeza que vai ser um jogo bom.
Sobre o duelo particular com Ronaldinho Gaúcho pela artilharia, Montillo demonstra uma de suas melhores qualidades fora de campo: a humildade.
- Quero que o Cruzeiro ganhe, não importa quem faça os gols. O artilheiro do Cruzeiro é Wallyson ou outro atacante. Sou meia e não tenho a função de marcar gols em todo jogo. Estou pensando em outra coisa, como o Cruzeiro voltar a vencer. Se puder ajudar com gols, melhor ainda.
Por fim, Montillo não deixou de comentar sobre a atual fase de Ronaldinho Gaúcho.
- Só tenho coisas boas para falar dele. É um jogador que já demonstrou tudo aqui e no mundo. Ganhou tudo. É um exemplo para todos nós. É um jogador muito completo.
Fonte: Globoesporte.globo.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Seguidores