Laranjeiras dedica cinco dias para comemorar o Dia do Folclore

Uma diversidade de cores e ritmos encantaram visitantes e a população que foi conferir de perto as apresentações de grupos folclóricos na histórica cidade de Laranjeiras, localizada a 20 km de Aracaju. Hoje, o município berço da cultura sergipana é também referência nacional quando o assunto é cultura popular. Por este motivo, o Dia Internacional do Folclore, comemorado dia (22), foi festejado durante cinco dias na cidade. Os brincantes mostraram a arte em escolas, igrejas, nas ruas e até na sede da Prefeitura local.
O ponto alto da festa, sem dúvida, aconteceu no último domingo, com a realização de um cortejo, que contou com a participação de quase 30 grupos folclóricos, tanto do município quanto de outras cidades sergipanas. Os fazedores da cultura popular percorreram as principais ruas de Laranjeiras, mostrando a diversidade de cores e ritmos, expondo assim, as tradições e de um povo, expressas nas suas lendas, crenças, canções e costumes.(Leia mais)

Na segunda-feira (22), a programação começou cedo com apresentação de grupos folclóricos em plena praça pública e logo em seguida, foi realizada no auditório da Universidade Federal de Sergipe (UFS), uma mesa-redonda com o tema “Folclore, Tradição e Modernidade”. O evento contou com a participação do historiador Luiz Antonio Barreto, da mestre Bárbara Cristina, da Taieira, e do mestre Zé Rolinha, representando a Chegança.

Para Luiz Antônio Barreto, profundo conhecedor das manifestações culturais não somente de Laranjeiras, mas de todo Sergipe, o tema não deve ser debatido em apenas um único dia. “Vir falar da importância do folclore, da interação dele com as novas tecnologias e tentar passar um pouco para a comunidade o seu valor sociocultural”, destacou.

O historiador acredita que as novas tecnologias, como a internet, podem ajudar na preservação e divulgação das manifestações folclóricas. “É preciso mudar está idéia. Podemos muito bem nos aproveitar dessa ferramenta para nos apropriar e divulgar ações ligadas diretamente à comunidade. Meu medo está na perda dos chefes de grupos, porque são eles que repassam o valor cultural para comunidade. Por isso, precisamos trabalhar mais para que os grupos quando perderem seus chefes arrumem rapidamente um substituto para que o grupo, em si, não desapareça”, entende o estudioso.   

Representando o grupo Taieira, a mestre Bárbara Cristina fez questão de destacar a importância da valorização cultural na comunidade. “O que sei aprendi com minha mãe, nas rodas de samba de coco, por isso é muito importante que a Prefeitura acorde para disseminar a nossa história, para que todas possam conhecer um pouco mais de nossas tradições”, destacou.

José Ronaldo de Meneses, o mestre Zé Rolinha, abordou a iniciativa da Prefeitura em lançar o edital “Mestre dos Mestres”, que beneficiará os chefes dos grupos folclóricos locais com a remuneração de dois salários mínimos mensais vitalício. “Estamos sempre disponíveis aos alunos e estudantes universitários para passar da melhor forma possível a nossa cultura popular, dentro dos mitos e das lendas, que ainda continuam vivos e fortes no imaginário da população laranjeirense. É uma ação muito valorosa por parte da prefeita Ione Sobral”, reconhece o folclorista.

A prefeita Ione Sobral falou um pouco mais da ação. “Não podemos, em momento algum, esquecer de valorizar nossa cultura, porque será através dela que vamos conseguir desenvolver a cada dia o nosso município. Ela será a principal ferramenta para disseminarmos o turismo e fazer com que a população se torne política e financeiramente independente para escolher por livre arbítrio um futuro melhor para todos”, espera a gestora.

Referência Nacional – Todo o trabalho desempenhado pelos folcloristas e a dedicação do poder público municipal à Cultura Popular tem como resultado o reconhecimento de Laranjeiras em todo o Brasil, tamanha é a diversidade de manifestações folclóricas que se mantém vivas há mais de um século. A prova disso é que os brincantes participam frequentemente de apresentações nos mais importantes festivais nacionais de cultura popular.
O destaque do município é também a festa cultural mais tradicional do ano; o “Encontro Cultural de Laranjeiras”, realizado há mais de 30 anos no mês de janeiro. O evento reúne intelectuais e folcloristas de todo o Brasil, que vem conhecer e aprofundar estudos e pesquisas. Neste encontro, há a participação de mais de 100 grupos, seja do Estado ou de outras regiões do País.
Atualmente, de acordo com o secretário municipal de Cultura, Irineu Fontes, Laranjeiras possui o maior número de grupos folclóricos atuantes no Brasil. Por este motivo, o poder público investe maciçamente nesta tradição. “Como todo Sergipe sabe, Laranjeiras é o berço da cultura sergipana e é justamente por isso que a atual administração vem investindo na cultura popular. A prefeita Ione Sobral vem transformando a cidade em um pólo turístico através da exposição das riquezas culturais e do patrimônio religioso existente. Dessa forma, quem ganha é a população”, relatou Irineu Fontes.
O secretário destacou ainda que Laranjeiras nestes cinco dias foi, sem dúvida, o ponto de encontro dos sergipanos que tiveram interesse em conhecer e se aprofundar nesta vertente da cultura. “Aqui tivemos discussões a respeito dos avanços no que diz respeito aos investimentos realizados, as políticas a serem desenvolvidas nos próximos anos, troca de experiências com gestores e intelectuais do município e convidados, ou seja, quem visitou Laranjeiras neste período teve a oportunidade de conferir a apresentação de dezenas de grupos folclóricos atuantes. É importante lembrar também que esta riqueza não é encontrada em nenhum outro município brasileiro”, frisou Irineu Fontes.
Foto: laranjeiras.se.gov.br
Por Diego Góes e Tarcísio Dantas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Seguidores