Campanha do Desarmamento já recolheu 22,2 mil armas

A Campanha que começou no mês de maio já está sem sua segunda etapa.

Nos quatro primeiros meses da Campanha Nacional do Desarmamento 2011 – Tire uma arma do futuro do Brasil (6 de maio a 9 de setembro),  foram recolhidas 22,2 mil armas. O número supera em mais de 20 vezes o total recebido, de janeiro a abril deste ano, pela Polícia Federal, órgão responsável por acolher as entregas voluntárias de armamentos fora das mobilizações.

Os revólveres são quase metade das entregas, com 10.828. Juntamente com 1.862 pistolas e outras armas fecham o grupo pequeno porte – 18.489. Medida dos bons resultados alcançados na mobilização é a entrega das armas de grande porte – o balanço da campanha contabiliza 3.734.

São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais lideram a lista dos estados com maior quantidade de entrega com: 5.349, 2.641, 2.602, 1.776 e 1.572, respectivamente.

A Campanha entrou em sua segunda fase na última  segunda-feira, dia 12. Uma novidade em relação à campanha anterior é a adesão dos estados e a ampliação dos postos de coleta de armas. Vinte unidades da federação já assinaram acordo de cooperação. Assim, a campanha conta com 1.539 postos, divididos da seguinte forma: Polícia Civil (712 postos), Polícia Militar (589), Polícia Federal (127), Polícia Rodoviária Federal (64), Guarda Municipal (35) e Corpo de Bombeiros (2).

Novas peças publicitárias – filmes para TV e internet, site, spots de rádio, cartazes, mobiliário urbano – foram baseadas em depoimentos reais de pessoas que perderam familiares. O objetivo é ampliar o diálogo com a sociedade para sensibilizar do perigo de ter armas e assim mobilizar cidadãos a entregarem as suas.

Todo o material publicitário veiculado pela campanha está disponível na página www.entreguesuaarma.gov.br. Estados, municípios e outros parceiros que quiserem imprimir podem baixar os arquivos. 

Histórico

A campanha atual do desarmamento se insere numa política de Estado para a segurança pública. Desde 2004, as mobilizações foram responsáveis por retirar de circulação cerca de 570 mil armas. A edição iniciada em 2008 foi responsável pela regularização de outras 500 mil.

A iniciativa atual traz quatro novidades: o anonimato para quem entregar a arma; a inutilização imediata do artefato; a ampliação da rede de recolhimento de armas; e a agilidade no pagamento da indenização, que pode ser sacada após 24 horas e em até 30 dias.

Cada arma dá direito a indenização de R$ 100, R$ 200 ou R$ 300. O Ministério da Justiça já pagou R$ 2 milhões.

Destruição

O Ministério da Justiça assina com Ministério da Defesa e o Conselho Nacional de Justiça, ainda nesta semana, acordo para viabilizar a destruição armas que estão sob a guarda de fóruns e tribunais em todo o país. Estima-se que o total chegue a 700 mil, incluindo armas brancas. A aliança será um marco importante para a continuidade da implementação da política de desarmamento.

Ministério da Justiça

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Seguidores